quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Dear John,

Eu sinto sua falta. A gente nunca se conheceu, mas você sempre foi meu amigo. Para mim, você é o John, um moleque criativo e até meio perturbado. Mas você também é John Lennon, a lenda, o rockstar, o cara que mudou o mundo, o cara que lutou pelo que acreditava. Para mim, você é tudo isso.

E eu penso em como deve ter sido difícil para você lidar com seus demônios e com suas lutas internas. Sempre tive essa teoria de que a arte – seja ela música, teatro, cinema, pintura – nasce da dor. Não que pessoas satisfeitas com a vida não saibam fazer boa arte, mas o resultado será completamente diferente: a dor, a loucura, a indecisão, o sofrimento trazem algo inexplicável, reconhecível, essencial e inesquecível. E o que você fez foi belo, inovador.

Você era assim. Tenho certeza que você era feliz, mas não era satisfeito. Para você, muita coisa no mundo tinha que mudar – e na sua vida também. Você pediu socorro, desabafou, pediu paz, mostrou o que a gente precisa e nos fez pensar que o mundo ideal precisa de menos que imaginávamos. Você criou hinos, movimentou multidões, e o faz até hoje. Você fez tudo errado, mas também fez tudo certo, não sei como explicar isso. Até agora estamos tentando te ouvir, tentando te entender, tentando ser tudo que você foi.

Mas nunca conseguiremos. Você era único, um gênio. Sua obra é insubstituível em todos os aspectos. Você transborda paixão, acidez, verdade. De novo, você faz falta.

Eu ainda não me recuperei do show do seu amigo que vi recentemente, mas todos meus arrepios começam quando ouço suas músicas, quando leio o que sua eterna mulher escreveu hoje. Eu nunca vou superar o fato de que, há trinta anos, alguém te tirou de nós e eu nunca pude fazer nada – até porque eu nem existia ainda. Eu não consigo explicar o quanto dói falar sobre isso. Eu queria poder fazer um texto melhor, a sua altura, do jeito que você merece, mas nunca serei capaz. Eu não sei explicar esse sentimento de intimidade e proximidade que tenho com você e com seus outros três amigos, os melhores, não duvido.

Eu só queria que você soubesse que eu estou te ouvindo e tentando te entender. Eu acredito em você, sempre vou acreditar. E só queria agradecer. Pela inspiração, pela esperança, pelo amor, pela alegria. Por tudo.

De um jeito ou de outro, você mudou a minha vida. Obrigada.

Tenho esse quadro na cabeceira da minha cama.
Stand by us, John.

3 comentários:

Hally disse...

Posso parar de chorar agora? Guria, tenho uma amiga que faz aniversário hoje. Eu nunca consegui ficar feliz por ela, porque sempre fico triste pelo John. E nem o conheci, mas ele faz parte da minha vida...

Anônimo disse...

Sem dúvida o melhor texto do Calendoscópio Dental até hoje. Sem palavras .. não consegui fazer um comentário digno.

Otavio Oliveira disse...

Concordo. se não for o melhor, é top 5.


eu tb tenho um poster do john. imagino um mundo com ele, vivo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...