terça-feira, 30 de novembro de 2010

Manual de Ideias Estúpidas® | 2 – esmalte autolimpante

O segundo fascículo do Manual de Ideias Estúpidas é destinado às leitoras desse blog ou até mesmo aos fieis e dedicados namorados e maridos, que caíram involuntariamente no delicioso mundo da moda. Acreditem em mim, será muito útil, rapazes.

Mulheres, meninas, moçoilas, garotinhas; todas nós somos apaixonadas por esmaltes. Lembra da primeira vez que sua mãe pintou suas unhas, quando você tinha uns quatro anos? Ver as pontas dos seus dedos brilhando era a única forma de te fazer parar de chorar e se sentir muito mais adulta que suas amigas.

Não adianta negar, eu sei que você quer todos

Ao alcançar a puberdade, a magia aumentou e esse universo se tornou ainda mais vasto. Agora, você pode fazer as unhas toda semana! A coisa mais gostosa do sábado era ficar horas – tá, só uns vinte minutos – vendo nomes, reconhecendo tons até escolher a tão desejada cor na paleta interminável da sua manicure.

Mas, chega uma hora na vida de toda mulher em que ela precisa fazer escolhas. Você tem trinta dinheirinhos e dois destinos para ele: ir ao salão e fazer suas unhas ou sair com seus amigos naquela baladinha imperdível. Você precisa escolher. Na empolgação do momento, vai optar pelo caloroso e ébrio encontro entre amigos. Tudo lindo, tudo legal, mas não dá para ir com essas unhas horrorosas encontrar O garroto. Então, você resolve fazer as unhas em casa, sozinha, sem nenhuma orientação de um profissional da área.

Isso pode ser resolvido!
E é aí que o bicho pega. O alicate ganha vida própria (e ele é bem faminto, o bichinho carnívoro); a lixa toma caminhos abstratos em suas unhas, deixando cada uma em um formato. Tem o rei das malandragens, que é o esmalte, e sua maior comparsa, a acetona. Os dois trabalham em uma sincronia invejável: enquanto um colore suas unhas, dedos e bochechas, o outro arremata com a limpeza – das unhas apenas. É praticamente impossível tirar esmalte dos dedos.

O esmalte autolimpante seria a salvação das universitárias que estão economizando seu dinheiro com a manicure. As fabricantes que estiverem dispostas a encarar esse desafio só precisam descobrir quais substâncias são capazes de gerar uma reação química que, em contato com a pele, desapareça imediatamente. Aí, é só colocar a nova descoberta no frasquinho de 8ml. Simples, não?

Impala, Risqué, Colorama, pensem nisso! Vocês já conseguiram ter grandes ideias como esmaltes camada única, mates, artísticos e de secagem rápida. Ao invés de gastarem fortunas com uma equipe para dar nomes babacas aos produtos, invistam em tecnologia de ponta para movimentar essa máquina de verdinhas chamada capitalismo, que vocês bem curtem que eu sei. Com uma criação dessas, as manicures gastariam muito menos tempo, podendo arranjar novas clientes, que usarão apenas seus esmaltes! Produtos dessa ~~ catigoria  ~~ poderiam até chamar “Ataque da TPM Maldita” que as consumidoras não iam ligar. E isso é muito mais legal que Penélope Charmosa, Doce Pecado e tudo isso que minhas leitoras já sabem.

Leitoras e fabricantes, pensem nisso com carinho. Matutem nessa ideia. Ao encostar a cabecinha no travesseiro essa noite, pensem que isso pode dar certo e no lucro que vai gerar. Pensem no pioneirismo que seu nome levará para sempre.

E, se isso sair do papel algum dia, já estarei com meu processo em andamento se vocês se negarem a me pagar os royalties pela concepção do produto. Não digam que não avisei.

4 comentários:

Fabiana disse...

Comprava fácil !

Cami Pires disse...

Minha maior dificuldade na hora de fazer a unha é limpar os malditos cantinhos... depois dessa, inventa um alicate q só corta a sobra e deixa o bife!!!

Mel disse...

Por que é mesmo q não inventaram isso AINDA? Diga-me!
Em tempo, continuarei gastando dinheirinhos no salão... não tenho a menor coordenação pra fazer minhas unhas e mto menos para esmaltá-las...

Giu disse...

Morro de vontade de saber quem dá nome pra esmalte, porque oh gente com noções zero de Marketing!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...