terça-feira, 6 de julho de 2010

O G da questão

Acredito que posso ser considerada uma mulher até que bem resolvida. Estudo o que quero, trabalho com o que gosto, vou para lugares que me dão na telha, tenho amigos ótimos e uma família incrível. Mas tem uma coisa que me tira do sério e resulta naquela depressãozinha básica: o G.

Não, não é o ponto G, é outro G. O tamanho G das roupas.

Se você é mulher e usa tamanho M, como eu, sabe do que estou falando. Nada é mais triste do que ir a uma loja, feliz da vida porque vai fazer aquelas tão merecidas comprinhas, mas perceber que não tem M que entre. É desesperador, humilhante e deprimente.

Quando isso acontece comigo (tipo ontem), já sei que nem adianta tentar provar mais nada. O vestido pode ficar lindo e perfeito no meu corpo, ser tudo aquilo que eu estava procurando nos últimos três meses, mas está tudo errado, pelo simples fato daquela etiqueta idiota estampar um G em fonte 36 e negrito. Que droga, por que não tatuaram na minha testa logo?

E você deve estar pensando como sou fútil, né? É aí que mora o perigo, porque todo esse meu nervoso não é apenas vaidade, mas é porque alguma coisa realmente está errada. Essa não é época de TPM, então não é inchaço. Se engordei tanto para as calças ficarem tão apertadas, para mudar meu número normal, é porque está na hora de procurar alguém que me fale o que está acontecendo. Eu, que acabei ficando meio neurótica com essas coisas de saúde de uns tempos para cá, não vou conseguir pensar que esses quilinhos são normais ou só querem me fazer companhia porque estão se sentindo sozinhos. Eu, hein, fiquem sozinhos e bem longe de mim!

E eles não estão me fazendo muito bem, e algo que te faz mal não é nada normal. E, por mais que todo mundo fale que não é nada e que estou exagerando, já tem um certo tempo que essas gordurinhas não estão me deixando nada feliz. Portanto, resolvi tomar algumas atitudes para começar a me sentir melhor (marquem isso e me cobrem): procurar um nutricionista, começar uma dieta, voltar a fazer dança e, claro, comprar sapatos!

Tudo isso aí tem um motivo óbvio. Só vou começar uma dieta indicada por um profissional que saiba do que está falando; vou voltar a fazer dança do ventre porque eu sempre gostei e não tenho disciplina para academia (e a Lu, que vai voltar a fazer balé, me incentivou mesmo sem saber!); e o tão querido ato de comprar sapatos! Não importa quantos quilinhos apareçam sem pedir, mas meu pé vai continuar pedindo para ser embelezado. E tem terapia mais gostosa do que ver que aquele salto ficou incrível e está implorando para ir para sua casa?

8 comentários:

Bia Nascimento disse...

Sapatoterapia é o que há de melhor nesse mundo.(Eu pratico mais do que deveria...) Eu te entendo nessa questão de tamanho... Eu tb uso roupa M e as vezes preciso comprar G pelo simples fato de que a maioria das lojas/confecções não devem mais saber qual a diferença entre P, M e G. Os padrões de hj em dia estão cada vez menores, um absurdo. Tenho várias roupas com etiqueta G que são tamanho M!!(Principalmente na C&A, Renner, etc) Lembra disso na próx. vez e não esquenta com essas medidas não ;)

Charlie Brown disse...

Bom... Seguindo a linha de pensamento de um sábio que sempre dizia "CHARLIE, DEIXE SUA IRMÃ EM PAZ! NÃO TÁ VENDO QUE ELA TA CHORANDO, MULEQUE?", vou dizer a única coisa que fica abaixo da taxa de 80% de risco. Lá vai: SUA LINDA!!

Natalia Máximo disse...

Valeu, pessoal, vou pensar nisso

Mel disse...

E não poderia haver texto mais perfeito q esse para eu usar a simples e também perfeita expressão: "in her shoes".
Definitivamente, Nat, eu sei mto bem como é estar (e me sentir) "em seu lugar" nessas situações... tsc tsc... e qual mulher q não?
são síncopes como essas que - pelo menos isso! -, nos fazem tomar atitudes! Go for it, and everything else, girl! bjs, Mel

Giu disse...

O efeito psicológico disso é de fato devastador, mas o que disseram aí em cima é verdade: os tamanhos de hoje não seguem nenhuma padronização, tanto que eu tenho blusas do PP ao G no meu guarda-roupa.

May disse...

NEM me fale.
Tem 5 quilinhos bem feinhos e chatinhos que resolveram morar no meu corpo sem pedir licença e que não vejo a hora e COMO me livar deles.

Cami Pires disse...

Sua liiinda. Fica calma, até a Galisteu disse que tem sempre 2 kilinhos pra perder e olha que ela é um pau...

Má-Má disse...

hahahaha
as letras não me assustam tanto...fico desesperada quando os números mudam, isso sim!!!

mas, claro, entendo perfeitamente what you mean. e, apesar de todo mundo ter falado e eu ter te visto UMA vez no mundo real, lá vai tb: vc realmente não precisa se preocupar com seu peso. :)

por favor, compre os sapatos e dedique um post a eles!! rs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...