terça-feira, 9 de março de 2010

The End?

Se tem uma coisa que eu sempre achei ruim é término de namoro. Mas nunca pensei que assistir a um fosse pior.

Tem esse casal na minha faculdade que eu só conheço de vista, e sempre achei uma graça, do tipo que se completa. Eles devem estar juntos há uns dois anos. Nunca cheguei a falar com ela, ele é conhecido de um colega; já trocamos algumas poucas palavras. Mas isso nunca me impediu de achar que eram feitos um para o outro. Hoje, presenciei o fim dessa relação, que sempre me pareceu tão bonita.

Todo dia, eles pegam o mesmo ônibus que eu, um fretado que vai direto para a faculdade. Eu sempre entro no Butantã e eles, em Pinheiros. O bom de pegar esse ônibus é que sempre consigo dormir um pouco ou dar uma relaxada do stress do trabalho. Hoje não foi bem assim. Tentei tirar um cochilo, mas, quando acordei, vi que eles estavam no banco ao lado. Achei estranho eles não estarem abraçados como sempre, mas de braços cruzados, com o olhar distante.

Nem precisava pensar duas vezes. Aquilo era um fim de namoro, não tinha como ser outra coisa. Todas as reações deles apontavam para isso: os dedos inquietos dela, folheando um caderno; os olhos baixos dele, incrédulos; os rostos virados para lados opostos, enquanto pouquíssimas palavras eram trocadas; o pensamento longe de cada um deles; o silêncio constrangedor.

Também era possível saber quem tinha terminado com quem ali, naquele banco de ônibus no escuro. Além de piscar muito e olhá-lo constantemente, ela não esboçava mais nenhuma reação. Ele, no entanto, chorava. Chorava muito, e chorava em silêncio. Não havia descontração, risadas, nada. A cena era aquela, durante todo o percurso até chegar à faculdade.

Fiquei olhando a situação, fingindo muito mal que estava dormindo. Por mais que eu não quisesse, não sei por que aquilo prendeu minha atenção. Sabia que estava invadindo a privacidade deles, mas era uma cena muito triste e, ao mesmo tempo, absurdamente familiar. Enquanto isso, Paul McCartney gritava Yesterday nos meus ouvidos repetidamente. Não conseguia ouvir outra música naquela hora.

Assim que chegamos, desci do ônibus o quanto antes. Não queria ficar para saber qual seria o fim desse episódio. Só sei que, ao olhar para trás, eles não estavam de mãos dadas.

Durante essa hora dentro de um ônibus, observando o fim de uma relação que sempre pareceu tão bonita para mim, mesmo que eu só visse de longe, me fez pensar neles. Pensar no que eles estariam pensando, como que seguiriam agora. Será que eles estavam bem? Será que ficariam bem? Será que ainda ele ainda choraria quando chegasse em casa? E ela, que parecia tão forte na frente dele, será que ensoparia o travesseiro essa noite?

Sim, eles ficarão bem, tenho certeza. Vão chorar por duas semanas, ficar mais um mês sem vontade de fazer nada, desacreditar do amor por um tempo bem maior. Daqui a pouco, vão voltar a sair com os amigos que quase não viram nesses dois últimos anos, conhecer gente e lugares novos, entre tantas outras coisas. O mais importante é que, no fim das contas, os dois vão ficar felizes, seja lá qual for o caminho que sigam.

É, pensei muito neles, estou pensando até agora. Mas, acho que qualquer pessoa que tenha passado por isso também pensaria. Porque, foi olhando para eles que eu vi uma partezinha da minha vida, sem tirar nem por nada. É, vivendo, quebrando a cara e aprendendo...

Trilha sonora (do texto e da cena): Vanguart, com essa.

6 comentários:

Nih_x disse...

Ainda lembro do balão vesguinho... tempos bons de inocência sem namoro. Agora é um balão triste :(

Natalia Máximo disse...

Um balão estourado RARARARA -n

Wagner disse...

Triste pelo fato, mas feliz por toda essa sensibilidade, Nat.
Beijo

palavrafinal disse...

Um fim de namoro pode ser mto feliz tb. Às vezes, as pessoas ficam mais tristes qdo um relacionamento alheio acaba do que qdo é o seu próprio. :)
Bjos,
May

Natalia Máximo disse...

Muito bem colocado, May! Na maioria das vezes, terminar um namoro é se livrar de um peso muuuuuuuuito grande...

Eric disse...

"Each day just goes so fast,
I turn around, it’s past,
You don’t get time to hang a sign on me.
Love me while you can,
Before I’m a dead old man.
A life-time is so short,
A new one can’t be bought,
But what you’ve got means such a lot to me.
Make love all day long,
Make love singing songs.
Make love all day long,
Make love singing songs.
There’s people standing round,
Who’ll screw you in the ground,
They’ll fill you in with their sins,
You’ll see.
I’ll make love to you,
If you want me to."

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...